Câncer de próstata


Um dos efeitos colaterais do tratamento do câncer de próstata é a infertilidade.


Publicado em: março/2017


O adenocarcinoma de Próstata é o tumor maligno mais frequente em homens acima de 50 anos, excetuando-se os tumores de pele. Vários fatores contribuem para o seu surgimento. São eles:

 

GENÉTICOS: maior risco de ocorrência do tumor em famílias que tenham portadores de adenocarcinoma de Próstata.

AMBIENTAIS

HORMONAIS: a testosterona não provoca o câncer de próstata, mas estimula seu crescimento.

ALIMENTARES: dietas ricas em gordura animal e hipercalóricas estão associadas ao aumento do risco de surgimento desta neoplasia.

 

A suspeita diagnóstica do tumor de próstata é feita através da dosagem do PSA e do toque retal. Confirma-se através da biópsia de próstata guiada por ultrassonografia transretal. Para indivíduos com história familiar as visitas ao urologista iniciam-se aos 40 anos e, para aqueles sem antecedentes, aos 45 anos.

 

Quando a doença é diagnosticada precocemente, o tratamento é cirúrgico. Retira-se a próstata completamente e as vesículas seminais, além de alguns gânglios pélvicos.

 

Alternativamente, a radioterapia pode ser utilizada nesta fase. Os índices de cura, nesta fase, giram em torno de 80%.

 

Nos casos de doença avançada, o bloqueio da testosterona é o tratamento de escolha.

 

Diante da falha desta terapêutica, a quimioterapia é instituída. A cirurgia impede que o homem volte a ejacular.

 

A radioterapia pode diminuir a produção do sêmen e, eventualmente, comprometer indiretamente os testículos.

 

A terapia de bloqueio hormonal e quimioterapia comprometem a produção de espermatozoides.

 

Portanto, de forma geral, um dos efeitos colaterais do tratamento do câncer de próstata é a infertilidade.


Marcadores: